China Russia Alemanha Espanha Franca Inglaterra Dinamarca Portugal

"Mesão Frio Integra" - PROGRIDE

Acção n.º 1.
Criar um gabinete de atendimento ao cidadão de Mesão Frio, com uma equipa multidisciplinar.


Descrição: De acordo com o artigo 37ª nº 1 da Constituição da República Portuguesa todos os cidadãos têm direito de "(…) informar, de se informar e de serem informados, sem impedimentos nem descriminações". Contudo, o Concelho de Mesão Frio manifesta, a este nível, algumas carências, nomeadamente no facto de não haver, no mesmo, cobertura ao nível da Segurança Social e Regimes, nem um espaço onde os mesãofrienses se possam informar sobre os diversos serviços existentes no Concelho de Mesão Frio/Distrito de Vila Real.
Com o Gabinete de Apoio ao Cidadão pretende-se criar um serviço de carácter comunitário e polivalente que: informe e oriente os cidadãos aos mais diversos níveis (jurídico, social, institucional, de recursos); que coordene com instituições, recursos e serviços; que preste apoio familiar e individual; que procure respostas adequadas a cada caso; que intervenha nas famílias quando necessário; que realize estudos sócio - económicos da população mesãofriense; crie mecanismos onde a população possa dar a sua opinião acerca dos principais problemas do concelho e da melhor forma de os resolver. Assim, com o gabinete pretende-se detectar as necessidades sentidas pela população, incentivando-os, de igual modo, a participarem no desenvolvimento local, visto que se pretende trabalhar com a população e não só para a população. Deste modo, podemos referir que o gabinete pretende realizar um acompanhamento integrado e sistémico.
Este gabinete será constituído por uma equipe multidisciplinar: Assistente social, sociólogo, psicólogo, terapeuta familiar, animador sócio – educativo, técnico oficial de contas, jurista, educação social e administrativo.

Objectivos: Diminuir a desigualdade de acesso á informação.

Destinatários: População em geral.


Acção n.º 2.
Deslocação da equipa técnica às freguesias mais distanciadas.


Descrição: Esta acção é um complemento da acção 1. Com a mesma pretende-se "levar" o gabinete, através de uma unidade móvel, junto dos que têm dificuldades para se deslocar ao Centro de Mesão Frio.

Objectivos: Apoiar, acompanhar e/ou encaminhar pessoas e famílias em situação de emergência social.

Destinatários: População em geral.


Acção n.º 3.
Elaboração de um guia de recursos, relativamente aos Programas e respostas sociais existentes no Distrito.


Descrição: O guia de recursos consiste em fazer uma lista dos serviços existentes no Distrito de Vila Real aos mais diversos níveis (jurídico, social, saúde, educação), com o intuito de se orientar os cidadãos.

Objectivos: Promover o direito à Informação e fomentar a Justiça Social através da participação activa da própria população.

Destinatários: População em geral.


Acção n.º 4.
Realizar Encontros com temas da actualidade, como por ex.: Violência Doméstica; Planeamento Familiar; Crianças em Risco.


Descrição: A acção 4 pretende a realização de Encontros / Seminários direccionados para a discussão das problemáticas que assombram a nossa sociedade, especialmente no Concelho de Mesão Frio, com a finalidade de implementar a mentalidade de que a sociedade tem o dever de ajudar a resolver os problemas actuais.
Para tal pretende-se convidar alguns oradores com conhecimento de causa dos problemas, promover Workshops onde haja uma forte participação da comunidade juvenil.

Objectivos: Alertar, consciencializar e actualizar a população para os problemas actuais.

Destinatários: População em geral e técnicos das diversas áreas de intervenção.


Acção n.º 5.
Desenvolver acções de informação sobre a temática do Voluntariado em articulação com alguns parceiros.


Descrição: O voluntariado é uma temática sobre a qual muito se tem falado. No entanto, o concelho de Mesão Frio ainda não incorporou a cultura do voluntariado social. Assim, com esta acção pretende-se criar situações concretas, dentro da comunidade e incentivar a população mesãofriense, especialmente a mais jovem, a contribuir voluntariamente para a resolução dos problemas da própria comunidade. Para tal serão efectuadas sessões temáticas (especialmente nas escolas) sobre o tema do voluntariado. Serão também realizados e distribuídos panfletos e cartazes alusivos à importância do voluntariado na ajuda aos grupos socialmente mais desfavorecidos.

Objectivos: Dinamizar o Voluntariado Social.

Destinatários: População mais jovem.

Acção n.º 6.
Criar um Banco de Voluntários.


Descrição: Com a criação do Banco de Voluntários poder-se-ão desenvolver várias acções, nomeadamente:
a) Incentivar os jovens a visitar o domicílio das pessoas com dificuldade de mobilidade e com uma deficiente retaguarda familiar, para lhes prestarem algumas modalidades de ajuda e colmatar a solidão e o isolamento;
b) Formar um grupo de pessoas que se disponibilizem a ajudar os jovens com perspectivas de insucesso/abandono escolar. Com esta acção pretende-se que uma pessoa, com sentido de responsabilidade, seja "tutora" de uma criança/jovem que não disponha de acompanhamento/orientação por parte dos familiares. Neste sentido, o "tutor" terá de manifestar disponibilidade para ir acompanhando o percurso escolar da criança/jovem. Pretende-se com este banco de voluntários que as pessoas desenvolvam e reforcem os sentimentos de solidariedade.

Objectivos: Dinamizar o Voluntariado Social.

Destinatários: População mais jovem.


Acção n.º 7.
Dinamizar encontros intergeracionais para comemoração de datas festivas: dia da Criança; dia do Idoso; festa de Natal, etc.


Objectivos: Partilha de experiências entre os idosos e os mais novos.

Destinatários: Crianças, Idosos e Deficientes.


Acção n.º 8.
Constituir um grupo de Idosos para (re) aprenderem matérias básicas.


Objectivos: Partilha de experiências entre os idosos e os mais novos.

Destinatários: Idosos.


Acção n.º 9.
Criar a modalidade de ginástica direccionada para as gerações mais velhas.


Objectivos: Suscitar nos idosos a importância do exercício físico para uma melhor qualidade de vida.

Destinatários: Idosos.


Acção n.º 10.
Criar um pequeno grupo de Teatro para a população em geral.


Objectivos: Promover momentos de descontracção, satisfação e de exteriorização de sentimentos.

Destinatários: População em geral.

Descrição: Com estas acções pretende-se garantir melhores condições de vida da população idosa, priorizando os mais desfavorecidos através da ocupação saudável dos seus tempos livres, com actividades recreativas, lúdicas, de lazer e pedagógicas, proporcionar convívios entre os idosos e as gerações mais novas (utilização dos serviços da piscina municipal, criar uma turma escolar para idosos, realizar a festa do idoso, promover sessões de cinema, organizar passeios e festas convívio, organizar colónias de férias). Neste âmbito, pretende-se reforçar a auto – estima e o desenvolvimento físico e intelectual dos idosos, mantendo-os em contacto com as gerações mais novas. Estes encontros intergeracionais permitirão a troca de experiências, a elaboração de um boletim onde serão registados, através de fotografias, desenhos, poemas as emoções por todos vividos.
Pretende-se ainda promover exposições nos diversos encontros a realizar, com trabalhos feitos pelas diferentes gerações, tais como: pintura, tricot, colagens. No âmbito de todas as acções pretende-se prestar apoio psicossocial ao idoso.
Estas acções permitirão ao idoso o reconhecimento e validação das competências adquiridas ao longo da vida.


Acção n.º 11.
Criar uma equipa móvel de rastreio no concelho.


Descrição: Com esta acção pretende-se alertar e informar a população sobre os vários tipos de doença, nomeadamente as de foro oncológico, as doenças infecto – contagiosas. Pretende-se, de igual modo, sensibilizar a população da importância da frequência das consultas de rotina e vacinação.
Pretende-se, com esta acção, promover a saúde através de acções de prevenção da doença.

Objectivos: Dotar o concelho de mais informação na área da saúde.

Destinatários: População em geral.


Acção n.º 12.
Reforçar a cooperação entre todos os parceiros, voluntários, entre todas as pessoas com deficiência e respectivas famílias.


Objectivos: Elevar os níveis de participação de pessoas com deficiência.

Destinatários: População em geral.


Acção n.º 13.
Envolver a comunidade no processo de intervenção.


Objectivos: Promover a igualdade de oportunidades.

Destinatários: População em geral.

Descrição: Com estas acções pretende-se promover encontros estreitos entre os diferentes parceiros do projecto e a população em geral que os alertem para o facto de que “somos todos excluídos” e, por isso, devemos, em conjunto, encontrar soluções para Integrar aqueles que no dia-a-dia são o rosto mais evidente da exclusão. Deste modo, pretende-se delinear propostas para melhorar a qualidade de vida dos deficientes, nomeadamente ao nível da criação de emprego. Pretende-se ainda, com esta acção, ditar e executar resoluções sobre: transportes públicos, cabines telefónicas, estacionamentos, barreiras arquitectónicas, urbanísticas.


Acção n.º 14.
Através da medida Centro de Atendimento/Acolhimento pretende-se criar um espaço ludico-pedagógico para as pessoas com deficiência.


Descrição: O Centro de Atendimento / Acolhimento para Deficientes visa ser um espaço de encontro, descontracção e que permita estudar cada caso de forma individualizada.
Pretende-se, com o mesmo, informar, orientar e apoiar as pessoas com deficiência promovendo o desenvolvimento das competências necessárias à resolução dos seus próprios problemas, bem como actividades de animação sócio-cultural e pedagógica.

Objectivos: Criar espaços onde os deficientes possam conviver e exprimir os seus sentimentos.

Destinatários: População deficiente.


Acção n.º 15.
Realizar pequenas obras de beneficiação em habitações degradadas.


Objectivos: Proporcionar o acesso de cada pessoa a uma habitação condigna.

Destinatários: Pessoas singulares ou famílias residentes em habitações degradadas.


Acção n.º 16.
Realizar pequenas obras com a finalidade de colmatar as barreiras arquitectónicas que dificultam o fácil acesso de idosos e deficientes às habitações e espaços públicos.


Objectivos: Promover actividades que estimulem a criação de sentimentos de pertença.

Destinatários: População em geral, especialmente idosos e deficientes.

Descrição: Com a acção 15 pretende-se prestar apoio à recuperação de algumas habitações, contemplando obras de recuperação/construção quarto de banho, cozinha, telhado, quarto, instalação de luz eléctrica, de água canalizada, com o intuito de contribuir para a melhoria das condições de habitabilidade e consequentemente para a autonomia e bem estar dos agregados familiares, prevenir situações de promiscuidade e insalubridade nas habitações e dignificar as condições de vida dos grupos socialmente mais vulneráveis.
A acção 16 é um complemento da acção 15, na medida em que também se refere a pequenas obras a realizar, mas estas com a finalidade de colmatar as barreiras arquitectónicas e urbanísticas que dificultam o fácil acesso do idoso, deficientes e crianças às habitações e espaços públicos.


Acção n.º 17.
Comemorar o dia Mundial da Floresta; o dia da Árvore.


Objectivos: Promover uma cultura de preservação da natureza.

Destinatários: Jovens e Crianças.


Acção n.º 18.
Envolver a população estudantil na reflorestação e limpeza florestal.


Objectivos: Promover uma cultura de preservação da natureza.

Destinatários: Jovens e Crianças.

Descrição: Com estas acções direccionadas para as questões da natureza, pretende-se criar, essencialmente nas escolas, “O Clube do Ambiente”, onde sejam desenvolvidas pelos jovens actividades relacionadas com a floresta; prevê-se ainda a organização de exposições relacionadas com o meio ambiente, o desenvolvimento de actividades lúdicas, pedagógicas e desportivas em contexto natural; envolver a população em campanhas de sensibilização, reflorestação e limpeza das florestas de Mesão Frio; suscitar novas atitudes no contacto com a natureza, como seja o “saber estar”; proporcionar formas de usufruírem da beleza da natureza.


Acção n.º 20.
Realizar mini-cursos de informática para a população em geral (jovens, adultos e idosos).


Descrição: Com esta acção pretende-se realizar junto da população, em articulação com as escolas, cursos de informática com a finalidade de estimular novas aprendizagens.
Esta acção revela importância, na medida em que, na actualidade, o domínio da informática tem um duplo papel: contribuir para o desenvolvimento integral e realização pessoal da população; e é importante aquando da procura de determinados trabalhos.

Objectivos: Estimular a realização de novas aprendizagens.

Destinatários: População em geral.


Acção n.º 21.
Realizar Acções de Formação/Informação e Prevenção em áreas como: Saúde, Cidadania, Ambiente, Emprego e Formação Profissional.


Objectivos: Combater processos de exclusão social implicando nas questões de direito e cidadania a comunidade local

Destinatários: População em geral


Acção n.º 22.
Realizar Acções de Formação Profissional direccionadas para as áreas de arquivo; restauração; atendimento personalizado; jardinagem; serviços de cozinha; serviços de limpeza.

Objectivos: Estimular e despertar o surgimento de novas capacidades e competências com vista à inserção profissional

Destinatários: Desempregados e pessoas à procura do 1º Emprego.

Descrição: As acções 21 e 22 complementam-se, na medida em que se referem à formação.
Considera-se que a participação dos populares é um dos princípios em que assenta este Projecto. Porém, para que a participação seja real e efectiva não basta declarações de boas intenções é necessário criar formas de as pôr em prática. Neste sentido, para promover a participação activa é necessário dotar os cidadãos de informação válida e credível, visto que um cidadão informado apresenta melhores condições de participação activa.
Para tal, serão realizados; campanhas informativas de interesse geral; serão editados folhetos informativos de carácter específico; serão instaladas “caixas de sugestões” onde os cidadãos poderão deixar por escrito sugestões e propostas que desejarem, serão realizadas acções de formação.
Por outro lado e com o intuito de preparar os cidadãos para a vida activa propriamente dita serão realizadas acções de formação profissional com vista a uma possível integração dos mesmos em empreendimentos a realizar no concelho de Mesão Frio: Construção da Biblioteca Municipal de Mesão Frio e a construção do Douro Marine Hotel “ na Rede.
Com estas duas acções pretende-se promover a construção de uma Rede Local de Educação e Formação de Adultos


Acção n.º 23.
Realizar actividades extracurriculares: desportivas, culturais e sociais.


Descrição: A concretização desta acção passa pela realização de actividades extracurriculares com os mais jovens, nomeadamente actividades desportivas de âmbito concelhio e distrital, através da realização de encontros de andebol, futebol entre outras modalidades; actividades culturais e sociais que terão o mesmo fio condutor da acção 7, 17e 18.

Objectivos: Proporcionar formas alternativas de ocupar os tempos livres.

Destinatários: Crianças e jovens provenientes de famílias desfavorecidas.


Acção n.º 24.
Adaptação de um espaço fixo – lúdico – pedagógico.


Descrição: Com esta acção pretende – se criar um espaço educativo, de convívio e de lazer para crianças e jovens, devidamente apetrechado com material lúdico e pedagógico e onde os utentes disponham de informação, aconselhamento e orientação aos mais diversos níveis.
Assim, pretende-se um espaço onde se desenvolverão actividades lúdico – pedagógicas (pintura, música, leitura de contos, visionamento de filmes temáticos, debate de ideias, actividades de expressão plástica, dramática e corporal, jogo da mímica); onde se preste apoio psicossocial individualizado; onde se possa diagnosticar, acompanhar e encaminhar situações – problema; divulgar informação e sensibilização para temáticas actuais; onde se preste apoio a nível da realização dos trabalhos escolares; realizar o treino de competências pessoais e sociais.

Objectivos: Promover e desenvolver o "saber ser", "saber fazer" e "saber estar" das crianças e jovens.

Destinatários: Crianças e jovens provenientes de famílias desfavorecidas.



Acção n.º 25.
Elaboração de um Projecto designado "Prevenir a Integrar".


Descrição: No cumprimento desta acção pretende-se o estabelecimento de protocolos com diversas entidades; trabalho de rua; intervenção interdisciplinar; acções de sensibilização, informação e formação; utilização dos mass media; atendimento de porta aberta e dinamização de grupos de interesse. Este programa deverá comportar três tipos de intervenção:
a) Prevenção primária – visa o desenvolvimento de uma série de acções de prevenção primária que incidam prioritariamente em três contextos: familiar, escolar e espaços de lazer e desportivos;
b) Prevenção secundária – Através da realização de trabalho de rua, serviço de atendimento psicossocial e informação diversa sobre as drogas mais comuns.

Prevenção terciária – estabelecer protocolos com vista à reinserção dos dependentes.

Objectivos: Prevenir a comunidade sobre os efeitos do uso e abuso de estupefacientes e álcool; Motivar e sensibilizar o alcoólico/toxicodependente para o tratamento; Sensibilizar a comunidade em geral para a problemática das diversas toxicodependências.

Destinatários: População em Geral, especialmente toxicodependentes e alcoólicos.



Newsletter

Fique a par de todas as novidades. Subrescreva a nossa newsletter.